Plantação de milho

Milho

Certamente não há planta no mundo com a versatilidade de uso apresentada pela planta de milho. Dela, quase todos são utilizados para aplicações tão diferentes quanto o consumo direto de seus grãos ou a fabricação de combustíveis, passando por inúmeras aplicações na indústria agroalimentar, farmacêutica, química, têxtil, metalúrgica, etc.

Produtos

Utilização do milho

Milho Convencional

A Pioneer dispõe da mais alargada oferta de híbridos de milho do mercado português. Híbridos adaptados às condições do solo e do clima específicas de cada zona de cultura, de grande variabilidade em Portugal.

Dirigidos tanto ao mercado de alimentação animal, como ao da alimentação humana, os agricultores portugueses podem dispor, em todos os ciclos, de uma muito ampla gama de produtos que vão desde os milhos para silagem até aos destinados à produção de grão para a industria alimentar ou de rações (além de para outros usos industriais específicos).

Finalmente, estão também disponíveis milhos especiais como o branco ou o Waxy, dirigidos a mercados mais específicos, que completam as possibilidades de fornecimento das sementes de alta qualidade Pioneer para os agricultores em Portugal.

Milho Bt

O que é o milho Bt?

As variedades de milho Bt, ou variedades protegidas mediante a tecnologia YieldGard(1), são classes de milho geneticamente melhoradas para as tornar tolerantes à ação de duas espécies de larvas do milho (Sesamia nonagrioides e Ostrinia nubilalis) habitualmente conhecidas como “brocas”. Ou seja, são híbridos de milho onde se aplicaram técnicas precisas de melhoramento para conseguir que a própria planta seja tolerante aos danos das brocas.

Desde os anos 30 que se conhece a utilidade das proteínas Bt para o controlo das pragas. Estas proteínas são assim designadas porque procedem de Bacillus thuringiensis, uma bactéria natural endémica no solo. As variedades YieldGard são capazes de produzir, em pequenas quantidades, uma proteína Bt (Cry1Ab), muito eficaz contra a broca, mas inócua para o homem, o gado, o resto da flora e da fauna e para os inimigos naturais das pragas.

Quando as pequenas lagartas de broca tentam danificar a planta do milho ingerem a proteína Bt. Uma vez ingerida, as próprias enzimas digestivas da lagarta ativam a forma tóxica da proteína, que age rapidamente danificando o aparelho digestivo da larva. Assim, consegue-se um controlo muito eficaz das lagartas de broca, sem risco para outros insetos benéficos e para o resto da fauna. Esta proteção estende-se a toda a planta durante todo o ciclo da cultura. Os híbridos que incluem esta tecnologia são idênticos no seu comportamento agronómico aos híbridos convencionais, dos quais derivam e apenas se diferenciam na capacidade de se protegerem contra os danos da broca.

(1) YieldGard é uma marca registada, usada sob licença da Monsanto.

Utilização do milho Bt

O desenvolvimento de populações de insetos resistentes é uma possibilidade que deve ser sempre considerada no controlo de pragas, tanto no caso da utilização de inseticidas, como de proteção genética. A melhor forma de garantir que as variedades YieldGard continuam a ser eficazes face às brocas, durante o máximo de tempo possível, é realizando uma boa prevenção da resistência.

Os insetos resistentes encontram-se presentes nas populações naturais, ainda que sejam muito pouco frequentes. Se a utilização de milho Bt se repetir, os escassos insetos que sobreviverem transmitirão a resistência às futuras gerações. Por essa razão, os investigadores consideram que a melhor forma de evitar o aparecimento de populações  de insetos resistentes ao milho Bt é combinar um controlo eficaz nos campos de milho Bt, com zonas próximas de milho convencional denominadas "refúgio". Assim, as borboletas procedentes da pequena proporção de lagartas resistentes, que sobrevivam num campo com milho Bt, serão impelidas a acasalar com as procedentes da zona de milho convencional, preservando assim a susceptibilidade da descendência e, portanto, o possível controlo através de futuras sementeiras de milho Bt.

Guia técnico e de boas práticas para o cultivo de milho Bt

Para manter a proteção, semeie refúgios.

O objetivo de um refúgio é manter insetos sensíveis nas populações de broca:

· Se semear mais de 5 ha de milho Bt, mesmo que este esteja distribuído por várias parcelas, é obrigatório a sementeira de uma área de refúgio.

· A dimensão do refúgio deve ser de aproximadamente 20% do total da área de milho semeado na exploração (Exemplo: numa exploração de 10 ha, 8 ha podem ser de milho Bt e 2 ha de refúgio com variedades de milho convencional)

· Recomenda-se que o refúgio seja semeado junto ao milho Bt, com uma variedade convencional de ciclo e data de sementeira semelhante. Se isto não for possível dever-se-á estabelecer uma parcela que se encontre a menos de 750 m do milho Bt. SÃO POSSÍVEIS DIFERENTES OPÇÕES E PODEM SERVIR PARA FACILITAR A COEXISTÊNCIA: O milho convencional do refúgio deve ser manuseado de forma idêntica ao milho YieldGard, e deve optar-se por escolher um híbrido do mesmo ciclo. Não se recomenda a aplicação de tratamentos contra as brocas e nunca se deve utilizar um inseticida à base de preparados microbianos de B. thuringiensis.

* Para o devido cumprimento das normas por parte do sr. agricultor, é obrigatória a frequência de uma ação de formação sobre "Coexistência entre culturas de variedades geneticamente modificadas e outros modos de produção" e a respectiva notificação da intenção de sementeira até 20 dias antes da sementeira do campo com variedades GM.

Milho Branco

O milho branco tem como objectivo principal a obtenção de farinha para o fabrico de pão, aperitivos, uso culinário, etc.. Não obstante, tem vindo a verificar-se uma crescente procura para a produção avícola dado a sua escassez de xantofilas e carotenos o que permite produzir uma carne branca de maior agrado para o consumidor.

Do ponto de vista agronómico, o seu potencial produtivo é similar ao do milho amarelo e a técnica cultural idêntica, recomendando-se contudo um isolamento de 24 linhas com os campos de milho amarelo na periferia ou assegurar, através da data de sementeira, uma diferença de 10 a 14 dias entre a floração do campo de milho branco e a de outros campos de milho amarelo na proximidade.

A Pioneer disponibiliza duas variedades de milho branco, ambas em ciclo FAO 600: PR32B10 e P1517W.

Milho Flint

O milho Flint enquadra-se dentro do grupo dos milhos de qualidade para consumo humano. O seu grão apresenta um endosperma vítreo dominante (textura dura ou córnea) e são normalmente de cor vermelho-alaranjado. A parte superior do grão (a oposta ao gérmen), não apresenta a fenda ou sulco vulgarmente observado no grão dentado.

O principal objectivo da produção de milho Flint é a confecção dos cereais de pequeno-almoço de alta qualidade. Estas variedades, tal como sucede com outros tipos de milho destinados ao consumo humano, têm um potencial de rendimento inferior à dos híbridos amarelos convencionais.

Do ponto de vista agronómico as exigências culturais são idênticas, recomendando-se, tal como para os milhos Waxy e Brancos, com o objectivo de assegurar a uniformidade e a qualidade do grão a realização de um isolamento de 24 linhas com os campos de milho da periferia ou assegurar, através da data de sementeira, uma diferença de 10 a 14 dias entre a floração do campo de milho flint e a de outros campos de milho na proximidade.

A Pioneer disponibiliza duas variedades de milho Flint: PR36Y03 (Ciclo FAO 300) e Lambada (Ciclo FAO 200).

Milho para silagem

O milho para silagem é um alimento fundamental na alimentação animal, principalmente do gado bovino. Na silagem, pode picar-se a planta completa ou utilizar apenas a maçaroca. Neste caso, falamos de silagem de pastone. O grão de milho é rico em amido e requer uma digestão lenta no aparelho digestivo dos ruminantes, o que permite ao animal aproveitar uma maior quantidade de nutrientes. Quando a planta é consumida por inteiro (silagem de milho) a energia fornecida pelo grão complementa-se com a fibra originária do caule e da massa folear da planta.

A Pioneer dispõe duma ampla gama de híbridos de milho, tanto de dupla aptidão grão-silagem, como especificamente para silagem. Dispõe igualmente dos melhores inoculantes bacterianos para conservar as qualidades da forragem e do pastone até ao momento do seu consumo e durante o mesmo.

Consulte o Assessor Agronómico Pioneer da sua zona sobre o híbrido mais adequado para a sua exploração e o inoculante indicado para melhorar e assegurar em óptimas condições de conservação toda a qualidade da sua forragem.

Milho BMR

O primeiro híbrido BMR no mercado europeu

Os híbridos BMR apresentam uma mutação natural que afeta a síntese de lenhina, reduzindo os seus níveis na planta. Estes híbridos apresentam uma maior digestibilidade da fibra, traduzindo-se num valor nutricional para a alimentação de ruminantes, superior aos híbridos convencionais, associado a maiores taxas de ingestão.

 

Mais informação

LumiGEN®

O melhor início para a melhor colheita

A tecnologia LumiGEN é uma tecnologia de última geração no tratamento de sementes, que proporciona uma proteção integral às suas culturas de colza, girassol e milho.

Mais informação

Tecnologia Optimum® AQUAmax®

Híbridos Optimum® AQUAmax®, novos híbridos para melhorar a rentabilidade.

Mais informação